A ÓPERA DE PEQUIM

No final de 2017 comecei a estudar mandarim, sempre fui apaixonada pela beleza da escrita, durante as aulas assisti diversos vídeos sobre a cultura e história da China.

 Um dos vídeos me chamou a atenção, era uma apresentação da Ópera de Pequim, não pela interpretação, achei monótono e estranho demais, mas os personagens estes sim me chamaram atenção, tinham tanta riqueza de detalhes nas suas roupas nos acessórios de cabeça na maquiagem.

E como nada passa despercebido senti vontade de saber mais.

Fiz uma breve pesquisa sobre a história da Ópera de Pequim, em Chinês se pronuncia Jīngjù é uma forma de teatro chinês tradicional que combina música, performance vocal, mímica, dança e acrobacia. Ela surgiu nos anos finais do século XVIII e tornou-se plenamente desenvolvida e reconhecida em meados do século XIX. O formato ficou extremamente popular na corte da Dinastia Qing e passou a ser considerado um dos tesouros culturais da China.

        Aqueles personagens da Ópera de Pequim me trouxeram inspiração e assim dei início a uma releitura, para criar personagens com um impacto teatral foi um longo processo de combinação de fotografias cuidadosamente selecionadas, esboços e ilustrações, são fragmentos que vão sendo manipulados, modificados e aos poucos compondo a obra, ao usar esses fragmentos procuro dar ao trabalho uma sensação de realismo, embora os temas estejam longe de serem realistas.